top of page

O que são plantas carnívoras?

Atualizado: 19 de jan. de 2023

Plantas carnívoras são plantas que possuem a capacidade de atrair, capturar e digerir animais. Elas absorvem de suas presas substâncias essenciais para sua sobrevivência, essencialmente o nitrogênio. Capazes de sobreviver onde outras plantas não conseguem, algumas de suas espécies são nativas do Brasil! Vamos conhecer um pouco mais sobre elas?

Quer ir para alguma parte específica deste artigo? Basta clicar em qualquer um dos tópicos:


  • 5 espécies de plantas carnívoras do Brasil

  • Qual a importância das plantas carnívoras e como você pode sensibilizar o aluno sobre o assunto?

  • Onde as plantas carnívoras podem ser encontradas?

  • Como atraem, capturam e digerem as presas?

  • Como posso aplicar em sala de aula?

  • Deseja comprar uma planta carnívora? 3 sites onde você pode adquirir a sua!



Você já pensou em produzir conteúdo para Internet? Escrevemos um E-book 100% gratuito com diversas ferramentas perfeitas para isso. Aproveite!



Fonte: Pinterest


5 espécies de plantas carnívoras do Brasil


  • Utricularia flaccida a.dc.

Espécie endêmica do nordeste do País, com registros somente na Bahia, Ceará e Sergipe, está em risco de extinção. É uma erva, possui uma forma de vida rupícola (vivem sobre paredes, muros e rochedos).


  • Drosera ascendens

A maioria das espécies desse gênero são da Austrália, porém essa espécie é endêmica do Brasil, podendo ser encontrada nas regiões sudeste do cerrado (Minas Gerais). É uma planta terrícola, ou seja, vivem na terra. Essa espécie possui o tipo de armadilha com folhas colantes, os indivíduos desse gênero em sua maioria possuem um formato de uma roseta e as flores são produzidas por hastes florais um pouco acima das folhas.


  • Drosera roraimae

É nativa do Brasil, podendo ser encontrada na Amazônia, em Roraima, na vegetação sobre afloramentos rochosos. É uma planta terrícola e rupícola, tendo como característica armadilhas do tipo folhas colantes.


  • Brocchinia reducta

É nativa, mas não é endêmica, do Brasil, podendo ser encontrada nas regiões de afloramentos rochosos na Amazônia. Possui uma forma de vida do tipo erva, é rupícola e terrícola.


  • Catopsis berteroniana

Nativa do Brasil, podendo ser encontrada no Norte, Sudeste e Sul do país. É uma erva e também epífita, ou seja, vive em outras plantas maiores, mas não são parasitas.


Entender os conceitos dentro da biologia são muito importantes para os alunos. Confira nosso glossário COMPLETO da biologia com centenas de termos.

Qual a importância das plantas carnívoras e como você pode sensibilizar o aluno sobre o assunto?

A conservação das plantas carnívoras detém grande importância para o equilíbrio ecossistêmico. Isso porque possuem interações com outras espécies que se beneficiam dessas para a sua sobrevivência, como por exemplo, servindo de refúgio para alguns anfíbios.

Também pode beneficiar os seres humanos com serviços ecossistêmicos, por predarem Dípteros, como moscas e mosquitos, ou mesmo larvas de parasitas como as da esquistossomose, ou seja, predam pragas que podem trazer doenças para os humanos.

Há um estudo que indica que os metabólitos extraídos através de técnicas in vitro da Dionaea muscipula, do gênero Drosera, podem prevenir vários tipos de câncer.

Outra pesquisa quantificou o grau de ameaça de extinção em que se encontram 48 espécies de alguns táxons de plantas carnívoras de todo o mundo, e concluíram que a ameaça mais comum é a perda de habitat pela a agricultura, seguida de coleta clandestina, poluição e modificação dos sistemas naturais.

É fácil para nós, da comunidade científica, associarmos esse tipo de interação entre o estado de conservação e de que forma isso poderá nos afetar, mas para os alunos talvez seja mais complexo fazer esse tipo de associação.

É importante sensibilizar o aluno sobre o assunto através do ensino de aprendizagem. A sensibilização deve se dar de forma a incentivar os alunos a compreender a importância da conservação de um ecossistema e das áreas em que essas plantas são encontradas. Temos uma seção de como pode ser aplicado em sala de aula!

Onde as plantas carnívoras podem ser encontradas?

As plantas carnívoras podem ser encontradas em solos úmidos, tóxicos e pobres em nitrogênio, um importante nutriente, que é essencial para construção de DNA, proteínas e enzimas.


Essas plantas sofreram uma pressão ecológica, o que possibilitou que se desenvolvessem em lugares que tenham a ausência de nitrogênio, onde outras plantas não obtiveram o mesmo sucesso. Entretanto, precisam capturar presas para garantir sua sobrevivência.


No Brasil podem ser encontradas em áreas úmidas do Cerrado.


Apresentam diversos formatos, sendo a maioria das espécies herbáceas, perenes e de pequeno porte, pois acredita-se que essa característica é o resultado de uma demanda ecológica e fisiológica, obtida através da evolução da carnivoria. Dado que, mesmo podendo adquirir nutrientes de uma maneira independente, houve a necessidade de produção de armadilhas, enzimas, modificações das folhas, o que possui um alto custo de produção energética.

É importante saber que, plantas carnívoras são organismos autotróficos e usam proteína animal apenas como forma de complementação nutricional para suprir a demanda de nitrogênio.


Desse modo, em comparação às plantas não carnívoras, as plantas carnívoras só possuem vantagem em termos de sobrevivência em ambientes pobres de nutrientes, ou seja, em que o fator limitante de crescimento seja o nitrogênio.

Como atraem, capturam e digerem as presas?


As plantas carnívoras precisam atrair suas presas para suas armadilhas, assim como outras plantas atraem seus polinizadores pela flor com seu néctar, cor ou aroma, dependendo de cada espécie, como uma forma de “recompensa”. As plantas carnívoras usam esses mesmos mecanismos, mas nem todas oferecem de fato uma recompensa, é apenas uma estratégia de atração.


Em sua grande maioria, as plantas carnívoras se alimentam de insetos, que por sua vez podem ser encontradas como “plantas insetívoras” na literatura. Há espécies que também se alimentam de pequenos roedores, rãs e pequenos pássaros, como por exemplo plantas que possuem armadilhas do tipo jarros.


A captura vai depender do tipo de armadilha, algumas delas são:


Fonte: LADIN - Laboratório de Dinâmica e Instrumentação. Plantas carnívoras do Brasil e do mundo.


Tipo jaula: Suas folhas foram modificadas para parecerem uma jaula. Quando está “pronta” para receber sua presa, ficam abertas. Assim que sentem a presença de suas presas através de estruturas parecidas com pelos no centro das folhas, elas se fecham prendendo o animal e logo começa a produção de enzimas digestivas. Ex.: Dionaea muscipula sp.


Fonte: LADIN - Laboratório de Dinâmica e Instrumentação. Plantas carnívoras do Brasil e do mundo.

Tipo folhas colantes: Possuem um tipo de glândula pegajosa que, ao ser atraído, o inseto se prende a ela. Geralmente isso ocorre com pequenos insetos. Algumas espécies enrolam as folhas para melhor digeri-los. Ex.: Drosera roraimae.



Fonte: LADIN - Laboratório de Dinâmica e Instrumentação. Plantas carnívoras do Brasil e do mundo.


Tipo jarro: Suas armadilhas possuem o formato de um jarro, algumas possuem uma estrutura parecendo uma tampa outras não. Por terem a parede do “jarro” escorregadia, ao ficarem na borda, suas presas escorregam e não conseguem sair de dentro dela, ficando presas nas enzimas digestivas que possuem no seu interior. Ex.: Heliamphora neblina.


A digestão ocorre através de enzimas digestivas que as plantas carnívoras desenvolveram através da pressão ecológica que sofreram. Algumas espécies mantêm suas enzimas prontas em seu interior, como por exemplo, as que possuem armadilhas do tipo jarro, outras produzem após a captura da presa como forma de reduzir gastos energéticos. O tempo de produção de enzima varia de acordo com a espécie.


Como posso aplicar em sala de aula?


Para auxiliar você professor, separamos algumas dicas e materiais de apoio, com base nesse texto e na BNCC (Base Comum Curricular), com o objetivo de desenvolver algumas habilidades:


Ensino Fundamental:


(EF02CI04) “Descrever características de plantas e animais (tamanho, forma, cor, fase da vida, local onde se desenvolvem etc.) que fazem parte de seu cotidiano e relacioná-las ao ambiente em que eles vivem.”


(EF02CI05) “Investigar a importância da água e da luz para a manutenção da vida de plantas em geral.”


(EF02CI06) “Identificar as principais partes de uma planta (raiz, caule, folhas, flores e frutos) e a função desempenhada por cada uma delas, e analisar as relações entre as plantas, o ambiente e os demais seres vivos.”


Seria interessante realizar uma atividade prática com os alunos para entender qual visão possuem antes e depois da explicação de conteúdo. Você pode abrir um debate, realizar um questionário ou pedir para que desenhem uma planta carnívora antes e depois para reavaliar o aprendizado.


Uma pesquisa realizada anteriormente e posteriormente à intervenção pedagógica demonstrou que a prática é atrativa para o ensino de Ciências. Quer entender detalhes sobre a pesquisa? Clique aqui.


Deseja comprar uma planta carnívora? Separamos 3 sites onde você pode adquirir a sua!



Que tal ter em suas mãos o passo a passo de como produzir as principais peças para o Instagram? Baixe o Manual prático para criar post, stories e reels no Canva 100% gratuito!


Deixe nos comentários o que achou deste conteúdo e nos diga como isso te ajudou! Adoramos Feedback!


Escrito por: Erika A. Oliveira Guedes (@erikaguedesz)

Revisado por: Juliana Cuoco Badari (@jujubadari)



Como citar este texto:


GUEDES, E. A. O.; BADARI, J. C. O que são plantas carnívoras?. Potencial Biótico. Disponível em: <https://www.potencialbiotico.com/post/plantascarnivoras>. Acesso em:



Referências bibliográficas:

ALCALÁ, R.E.; DOMÍNGUEZ, C.A. Biologia de plantas carnívoras: ecologia e evolução. Ciências Botânicas , n. 60, pág. 59-69, 1997.

DELACAVE, B. Invivo: Plantas Famintas. FIOCRUZ. Disponível em: http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1139&sid=2 . Acesso em 04 fev. 2022.

JESUS, L.F.R.; REIS, D.O.; FABRICANTE, J.R. Atualização da categorização do risco de extinção da espécie Utricularia flaccida a.dc. para o Brasil. Revista Multidisciplinar de Educação e Meio Ambiente, v. 2, n. 3, p. 39, 2021.

LADIN - Laboratório de Dinâmica e Instrumentação. Plantas carnívoras do Brasil e do mundo. Disponível em: http://www.ladin.usp.br/carnivoras/Portugues/first.html Acesso em: 04 fev. 2022

MORAIS, I.L.; AGUIAR, D.S.; RODRIGUES, S.M.; ARRUDA, R. O uso de plantas carnívoras como ferramenta de ensino de botânica e educação ambiental. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 10, n. 14, pág. e338101422153, 2021.


REFLORA - Plantas do Brasil: Resgate Histórico e Herbário Virtual para o Conhecimento e Conservação da Flora Brasileira. Disponível em: https://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/PrincipalUC/PrincipalUC.do;jsessionid=9404CF076A8DEF98A1C2E7D82E33B6C4. Acesso em: 04 fev. 2022.


RAHAMAN, S.T.; SAI, P.R. A short review on carnivorous plants and recent developments in the field of cancer research. Int J Farmacognosia,v. 5, n. 4,p. 205-212, 2018.

JENNINGS, D.E.; ROHR, J.R. A review of the conservation threats to carnivorous plants. Science direct, v. 144, n. 5, p. 1356-63, 2011. .

787 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page